Raimunda e a liderança feminina da Rede de Cantinas do Pará

  • Raimunda e a liderança feminina da Rede de Cantinas do Pará


No texto anterior vimos o que é o ecofeminismo e como ele pode contribuir para a construção de relações mais harmônicas com a natureza, especialmente quando as mulheres são colocadas como protagonistas de transformações ativas da cultura e da sociedade.

Um exemplo de como isso ocorre na prática pode ser encontrado com uma das instituições parceiras da Prema, a Rede de Cantinas do Médio Rio Xingu. Nascida da união dos povos indígenas Xipaya, Curuáya, Xikrin, Yudjá e Arara com os beiradeiros das Reservas Extrativistas Rio Xingu, Rio Iriri e Riozinho do Anfrísio, no Pará, essa Rede “atua na valorização do conhecimento tradicional, do extrativismo, da economia da diversidade socioambiental, da transparência e da autonomia.” Como aponta João Carlos Xipaya, da aldeia Tukuyá

“Vimos que a demanda dos ribeirinhos [beiradeiros] é a mesma dos indígenas. Até porque vive das mesmas coisas e produz as mesmas coisas. A diferença é a cultura. Mas cultura você não vende. (Gajardo e Almeida, 2018, versão online visto em 23/2/2022)”

Assim, através dessa cooperação as comunidades indígenas e beiradeiras, unidas pela proteção da floresta amazônica e pela defesa de seus modos de vida, beneficiam e comercializam, de forma sustentável, diversos produtos da floresta como óleos, farinhas, borrachas e castanhas, gerando renda e valorizando a diversidade socioambiental dos territórios.

Nós Somos a Floresta

Liderando de forma ativa essa movimentação em prol de uma economia da floresta em pé está Raimunda Rodrigues. Nascida na Reserva Extrativista do Rio Iriri, desde jovem acompanha a luta dos beiradeiros por protegerem suas terras de invasores ao mesmo tempo em que buscavam um meio de nela subsistir.



Para essas populações deixar suas terras tradicionais não se encontra em questão, pois, como coloca Raimunda, “Sempre eu digo que a gente não vive da floresta, nós somos a floresta; [ela] é uma parte de nós”.

Foi com a criação da Resex e da Rede de Cantinas em 2011 que a situação começou a melhorar para as famílias de beiradeiros. Essas iniciativas tornaram possível que eles pudessem vender seus produtos a um preço justo:

“Antes, a gente vendia nossos produtos, mas não sabia pra quem; hoje, a gente mesmo conversa com as empresas, que vêm aqui dentro da nossa comunidade, veem qual é o nosso modo de vida. As empresas não estão comprando só o nosso produto, elas estão comprando a nossa história. E isso é muito bom, porque têm pessoas reconhecendo que aqui tem gente que está lutando, não só por nós, mas por eles também”, conta Raimunda em uma reportagem do Instituto Socio Ambiental.

Uma ativista de muitas funções

Os pioneiros na implantação da miniusina na Resex do Rio Iriri foram Dona Chagas e Seu Agnaldo. Posteriormente passaram essa liderança para seus filhos, Raimunda e seu irmão, Marlon.

Além de administrar a mini-usina, Raimunda, mãe de três filhos, atua na supervisão, coleta, secagem e beneficiamento da castanha, além de acompanhar o processamento da farinha e do óleo de babaçu.

Também tem um papel central no estabelecimento de parcerias como a que foi estabelecida com a marca coletiva Vem do Xingu, que abastece não somente ribeirinhos e empresas, como também fornece a merenda de escolas de Altamira e Vitória do Xingu.

  A Prema tem orgulho de poder apoiar a Rede de Cantinas e os esforços de Raimunda Rodrigues através da compra do óleo de babaçu e óleo de copaíba. Esse relacionamento, baseado no comércio ético – um dos princípios do ecofeminismo -, é supervisionado pela Rede Origens Brasil que gera informações sobre como o produto que chega até você impacta positivamente no Território de Sócio Biodiversidade do médio Rio Xingu. Para saber mais basta acessar o link: ou ler o QR Code do seu produto.

Referências:

GAJARDO, A. G. e ALMEIDA, R. Valorizando os velhos, inspirando os jovens. Instituto Socioambiental. Revista Medium online. 2018. Disponível em < https://medium.com/hist%C3%B3rias-socioambientais/valorizando-os-velhos-inspirando-os-jovens-a037f645deb5 >

MARTINS, V. Raimunda Rodrigues: força feminina da floresta em pé. Instituto Socioambiental. Disponível em < https://www.socioambiental.org/pt-br/noticias-socioambientais/raimunda-rodrigues-a-forca-feminina-da-floresta-em-pe>

Vídeo depoimento de Raimunda, da Rede de Cantinas:

https://www.youtube.com/watch?v=oU765ov-1gw&ab_channel=ClaraGlock-IdeiaseExperi%C3%AAncias


Comentários

Gostou? Classifique!

Escrever comentário

Não use tags HTML!

Newsletter

×
Cadastre-se para receber nossa newsletter e receba em seu e-mail promoções, cupons de desconto exclusivos, notícias sobre ecologia e novidades!

* E-mail:

* Nome: